Karyotype Differentiation Among Four Dinoponera (Formicidae: Ponerinae) Species

Igor S. Santos, Jacques H.C. Delabie, Janisete G. Silva, Marco A. Costa, Luisa A. C. Barros, Silvia G. Pompolo, Cléa S. F. Mariano

Abstract


Ants in the genus Dinoponera (Hymenoptera: Formicidae: Ponerinae) are among the largest sized Formicidae of the World. In Brazil Dinoponera has an allopatric distribution, and several species occur in threatened biomes. We characterized karyotypes of the following 4 species: Dinoponera australis Emery, Dinoponera gigantea Perty, Dinoponera lucida Emery, and Dinoponera quadriceps Santschi. Karyotype analysis found that all 4 species have high numbers of small-sized chromosomes (D. australis, 2n = 114; D. gigantea, 2n = 82; D. lucida, 2n = 118/120; D. quadriceps, 2n = 92). A moderate variation in chromosome number was observed among the 4 species, which suggests the occurrence of chromosome rearrangements during karyotype evolution in Dinoponera. An exclusive AMT chromosome pair was found to occur in all Dinoponera species studied thus far, which we conclude is a probable synapomorphy in Dinoponera.

Resumen: As formigas do gênero Dinoponera (Hymenoptera: Formicidae: Ponerinae) estão entre as maiores Formicidae do Mundo. Dinoponera é alopatricamente distribuído no Brasil com várias espécies ocorrendo em biomas ameaçados. No presente trabalho foi feita a caracterização do cariótipo de quatro espécies de Dinoponera: Dinoponera australis Emery, Dinoponera gigantea Perty, Dinoponera lucida Emery, e Dinoponera quadriceps Santschi. Um grande número de cromossomos pequenos foi encontrado no cariótipo de todas as espécies analisadas (D. australis, 2n = 114; D. gigantea, 2n = 82; D. lucida, 2n = 118/120; D. quadriceps, 2n = 92). Uma moderada variação no número de cromossomos foi observada entre as espécies estudadas, o que sugere a ocorrência de rearranjos cromossômicos durante a evolução cariotípica neste gênero. O presente estudo também confirma a presença de um par cromossômico AMT em todas as espécies de Dinoponera estudadas até o momento, o que provavelmente representa uma sinapomorfia para este gênero.

View this article in BioOne

Full Text:

PDF